fbpx

Certificações Financeiras — Quantas e Quais São as Principais?

Quando falamos de certificações financeiras, quais você acha que são as mais importantes, meu nobre gafanhoto?

 

Existem muitas, para diversos fins e especialidades, e pode ser que um dia você queira se aventurar e buscar até as mais específicas para ampliar seu currículo e, claro, seu conhecimento!

 

É sobre todas elas que eu vou falar neste artigo. Confira e entenda!

 

Certificações financeiras da ANBIMA

 

As certificações financeiras da ANBIMA são nossas grandes amigas aqui na T2, e algumas delas fazem parte dos primeiros passos da carreira bancária! Veja:

 

CPA-10

 

A CPA-10 (Certificação profissional ANBIMA Série 10) é praticamente obrigatória para quem quer trabalhar em banco. Ela é o primeiro passo entre as certificações, e é uma boa ideia começar por aqui, meu nobre gafanhoto!

 

Essa certificação vai testar os seus conhecimentos iniciais no mercado e mostra que você já está preparado para trabalhar com venda e distribuição de produtos de investimento.

 

CPA-20

 

É a certificação de segundo nível da ANBIMA. Passar na CPA-20 permite que você faça tudo o que alguém com a CPA-10 faz, mas também pode trabalhar em algumas funções como manutenção de carteiras e venda de produtos para segmentos de alta renda.

 

CEA

 

Tirar a CEA é mostrar que você realmente manja dos paranauês. Com ela carimbada no currículo você pode indicar produtos de investimento enquanto gerente, e ela vale pela CPA-10 e também pela 20, pois te torna um Especialista em Investimento.

 

Entre as certificações financeiras da ANBIMA, a CEA é a que mais se mostra um diferencial, pois poucos profissionais do mercado estão nesse nível.

 

CGA

A CGA não entra exatamente na mesma categoria das CPA e da CEA, meu nobre gafanhoto. Isso porque ela serve para alguém que quer ser um gestor de fundos de investimento (comprar e vender ativos investidos nos fundos).

 

Porém, não se anime pra correr e já fazer a CGA achando que ela vem no pacote de CPA + CEA. A CGA é outro esquema, beleza? Na verdade, nem sempre quem trabalha em banco deve buscar essa certificação, porque a ideia é bem diferente.

 

Certificação Ancord

 

A certificação da Ancord é diferente das CPA e CEA, e é direcionada para quem quer se tornar um agente autônomo de investimentos. Ela é obrigatória para exercer a profissão e é a primeira etapa dessa carreira!

 

No caso do exame da Ancord, não é cobrado só o conhecimento sobre o mercado e tal. A prova também envolve os paranauês da própria profissão e como você vai lidar com problemas envolvendo ética, conflito de interesses e gestão de crises, por exemplo.

 

Ou seja, a Ancord vale a pena para quem quer realmente seguir como AAI, o que na maioria das vezes envolve sair do banco para mudar de carreira, sacou?

 

CNPI

 

O CNPI (Certificado Nacional do Profissional de Investimento) é outra das certificações financeiras que está em um cenário diferente. Quem oferece esse ponto a mais no seu currículo é a Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais).

 

Ela é considerada obrigatória pela CVM para quem quer ser Analista de Valores Mobiliários, e tem três níveis: a CNPI, para analistas fundamentalistas, a CNPI-T, para os técnicos e também uma terceira fase, para os plenos — a CNPI-P.

 

CFP®

 

A CFP® é a Certificação de Planejador Financeiro, e é uma das mais reconhecidas, até mesmo lá fora do país! Quem passa na prova mostra que manja muito dos paranauês de fazer o planejamento financeiro de qualquer pessoa.

 

Se você já estaria feliz sabendo fazer o seu, imagina ser um profissional em segurar as contas em casa, hein?

 

Brincadeiras à parte, quem tem o CFP® pode ser um planejador, ou seja, aquele cara que avalia todos os riscos e objetivos dos clientes. Assim, ele pode recomendar uma carteira de investimentos mais sólida e certeira, já de acordo com o perfil do investidor.

 

Quem oferece o CFP® é a Planejar — Associação Brasileira de Planejadores Financeiros), e entre as certificações financeiras, ela é a mais criteriosa, meu nobre gafanhoto.

 

Para ter o seu, você precisa:

 

  • ter ensino superior (não importa a área);
  • ser aprovado no exame (140 questões….);
  • comprovar, no mínimo, 3 anos de experiência no atendimento a investidores;
  • aderir ao Código de Ética da Planejar.

 

Gostou de saber mais sobre as certificações financeiras? Aqui na T2 Educação você encontra cursos online para a CPA-10, 20, CEA e Ancord, tudo de maneira simples, com materiais completos e atualizados!

 

Para mais informações, confira o site e aproveite para ler outros artigos como este em nosso blog!

Gostou do Artigo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe um Comentário:

avatar

Você também pode se interessar por:

Sobre o Autor

Tiago Feitosa

Tiago Feitosa

Graduado em Matemática e pós graduado em Finanças pela FAAP. Além de ser certificado Anbima CPA-10, CPA-20 e CEA, também sou Agente Autônomo de Investimentos. Se dedica a ajudar cada vez mais pessoas a se capacitarem profissionalmente.